• Ghiri

62º pedido de impeachment de Bolsonaro inclui 5 partidos da oposição

Atualizado: Jan 21

Novo pedido de impeachment coletivo deve contar com PCdoB, PDT, PSB, PT e Rede.


Presidente Bolsonaro já acumula 61 pedidos de Impeachment .Foto: Marcos Correa


Devido aos últimos eventos envolvendo a falta de oxigênio em Manaus e o colapso do sistema de saúde, partidos da oposição decidiram ingressar com pedido de impeachment coletivo contra o presidente da República Jair Messias Bolsonaro. Entre os motivos apresentados estará o fato de que o governo federal teria conhecimento da situação crítica a respeito da escassez de oxigênio disponível nos hospitais de Manaus desde o dia 08 de janeiro, seis dias antes do colapso tomar as manchetes dos jornais por todo país.


Com mais um novo pedido de impeachment contra o presidente em exercício, aumenta a pressão sobre os deputados e a Câmara Federal pela aceitação do processo. Até o presente momento já se acumulam um total de 61 pedidos na mãos do presidente da casa Rodrigo Maia (DEM-RJ).


+ Último dia de Trump na Casa Branca (wecoletivo.com)

+ Rede Sustentabilidade entra com pedido no STF pelo afastamento de Pazuello do Ministério da Saúde (wecoletivo.com)


Segundo o Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) o pedido está sendo redigido e deverá ser entregue a Maia ainda nesta semana. Além do pedido de impeachment parlamentares da Rede tentam dar início a criação de uma CPI para “apurar as ações e omissões do Governo Federal no enfrentamento da pandemia da covid-19 no Brasil”.


Ao jornal Estadão o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi declarou: “Esse pedido não pode ter barreira (ideológica). Isso é PT, PCdoB, Cidadania… Se amanhã o PSDB ou o próprio DEM quiserem (participar), acho que não pode ter barreira ideológica. A pauta tem que unir todo mundo”


Em nota conjunta os partidos de oposição declararam:

"O presidente da República deve ser política e criminalmente responsabilizado por deixar sem oxigênio o Amazonas, por sabotar pesquisas e campanhas de vacinação, por desincentivar o uso de máscaras e incentivar o uso de medicamentos ineficazes, por difundir desinformação, além de violar o pacto constitucional entre União, Estados e Municípios"


Atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Foto: Lula Marques.


Rodrigo Maia que em breve deixará o posto de presidente da Câmara Federal adiantou-se a entrada do pedido e declarou que a avaliação do processo deverá ser feita por seu sucessor no cargo, na disputa que atualmente se dá por Arthur Lira (PP-AL), Baleia Rossi (MDB-SP), Fábio Ramalho (MDB-MG), Capitão Augusto (PL-SP), André Janones (Avante-MG) e Alexandre Frota (PSDB-SP), Luiza Erundina (PSOL-SP) e Marcel Van Hattem (Novo-RS).


1 comentário