• Welyson Lima

Base de Bolsonaro tenta agir para barrar CPI da Covid-19 no Senado

A previsão é que a CPI seja criada oficialmente ainda nesta terça-feira (13). CPI pode sofrer ofensivas da base aliada a Bolsonaro.

Foto: Pedro França/Agência Senado.


A instauração de uma CPI da Covid-19 pedida pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede/AC) e que teve assinaturas de demais senadores, visa apurar irregularidades do Governo Federal na condução da pandemia por Covid-19. O pedido do senador Randolfe Rodrigues foi aceito e a abertura foi determinada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso.


Com previsão para ser oficialmente criada ainda nesta terça-feira (13), a CPI da Covid-19 pode ser alvo de ações da base aliada de Bolsonaro para barrá-la, incluindo obstruções regimentais, assinatura em uma CPI alternativa e pressão para que não sejam indicados membros por parte dos partidos, conforme veiculou o jornal Folha de São Paulo.


O processo começará pela leitura do requerimento pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM/MG), porém deve sofrer pressão de líderes do governo, além da bancada aliada a Bolsonaro, segundo o jornal.


O Presidente Bolsonaro (sem partido) teme que as investigações sobre a condução do governo na pandemia do coronavírus, desgaste ainda mais a sua imagem, o que pode levá-lo a uma quebra em popularidade ou mesmo levá-lo a investigação por crimes.


Aliados do presidente, de acordo com o jornal, apresentarão uma série questionamentos para serem feitos durante sessão, que foi marcada para às 16h, para evitar que Rodrigo Pacheco leia o requerimento da criação da comissão parlamentar de inquérito (CPI).Em áudio divulgado à imprensa nesta semana, Bolsonaro em conversa com senador Jorge Kajuru (Cidadania/GO), defende que objeto da investigação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 no Senado seja modificado para incluir estados e municípios.

0 comentário