• Carlos Eugênio dos Santos Lemos

Bolsonaro realiza entrevista simultânea ao depoimento de Nelson Teich

Em tentativa de desvio de foco ao depoimento de Teich à CPI, presidente Jair Bolsonaro sobe o tom e diz ter decreto pronto para barrar lockdown no país.


Hoje (05/05/2021) o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) ameaçou baixar um decreto contra medidas de isolamento social. A fala veio após uma onda de críticas nas redes sociais da conduta do governo federal na administração da crise do coronavírus após a confirmação da morte do ator Paulo Gustavo na noite de ontem (04/05/2021) por complicações geradas pela covid-19.


De acordo com o presidente a medida "não poderá ser contestada por nenhum tribunal". "Não podemos continuar com essa política de feche tudo, fique em casa", disse o presidente, sendo um claro recado para o STF. É importante lembrar que a suprema corte é alvo diário do presidente da república e de seus aliados.


A fala do presidente acontece ao mesmo tempo que o ex-ministro da saúde Nelson Teich fala na CPI da pandemia que saiu do governo por conta da falta de liberdade para trabalhar no ministério e a pressão por parte do executivo para indicar o uso da cloroquina como medicamento padrão para o tratamento da covid-19.


Os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), Marcos Rogério (DEM-RO), Jorginho Mello (PL-SC) e Eduardo Girão (Podemos-CE) fazem parte da “tropa de choque” do governo federal na CPI. Os senadores governistas utilizam-se do discurso de defesa da cloroquina e ataque a medidas de governadores e prefeitos na tentativa de proteger o governo federal.


Os senadores governistas utilizam-se de um discurso de críticas a uma politização da CPI (mesmo sendo um processo político). Contudo, o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) é pré-candidato ao governo estadual em 2022 e busca na CPI apoio do governo federal e visibilidade para o pleito ao palácio da abolição.

0 comentário