• Victor Bernadelli

Café, notícias e um PND descontrolado


Por Victor Bernadelli

Ator, Graduado em Marketing e Publicidade, Graduando em Antropologia e Aspirante a Jornalista


Devido aos últimos acontecimentos e de como o nome do pedetista Ciro Gomes ganhou destaque nesses dias mais recentes, traço uma linha pessoal de opinião a respeito do seu projeto e como ele leva sua visão de política em meio a um cenário tórrido em que se encontra o nosso país. Em resposta a uma pesquisa feita a sua personalidade e um indagado questionamento: seria Ciro uma figura pública descontrolada?


Hoje acordo em pleno domingo, faço minha corrida matinal e em seguida faço o meu pretenso café da manhã, que por sinal soa como um belo extraforte, apenas para sugerir que o dia vem com muita força igual ao gosto do meu café.


Faço uma busca por notícias matinais, a fim de saber quais novidades o cenário atual e fervoroso da política nos traz. Deparo-me com muita curiosidade e muita indagação com a notícia que o DEM (sim, aquele partido que apoiou Bolsonaro em 2018) teria encomendado uma pesquisa para tentar definir, conhecer, conceituar o perfil do futuro presidenciável, Ciro Gomes. Essa tal pesquisa afirmava que o futuro candidato teria boas propostas e intenções ao Brasil, mas que sua maneira de ser descontrolado, colocaria tudo a perder na sua maneira de apresentar o seu projeto político. Confesso que o café desceu um pouco desajustado na minha garganta. Como o DEM pôde ter essa afirmação? Se recordarmos bem, quem apoiou um político descontrolado em 2018, não foi o Ciro, mas o próprio partido que teve figuras conhecidas como Rodrigo Maia. Por que a sinceridade do advogado aspirante a cientista político e economista vindo do Ceará teria que ser encarada como algo arrogante, negativa e descontrolada?


Ciro tem nesses últimos tempos mostrado o mais alto nível de humanidade e o mais alto preparo possível no que tange discutir política, propostas sociais e sociedade. Temos visto um conjunto de ideias que soam como fatores essenciais na construção de um diálogo mais amplo, principalmente um diálogo que fure a bolha e que possa chegar a todos os setores sociais e ideológicos desse país. Chamar o Ciro de “descontrolado” ou atribuir isso a ele, é desrespeitar uma figura política que sempre caminhou em busca de respostas concretas no meio social e que sempre prezou a base primordial e motor do jogo político do país, a democracia. Ele é o único que vem tecendo uma linha tênue do que se prova ser humano. Um ato mais recente, vimos sua suave eloquência com o ministro Barroso, onde o defendeu de insultos injustos proferidos pelo presidente Jair Messias Bolsonaro.


Talvez o descontrole seja na sua paixão em querer apresentar um projeto que seja eficaz e que funcione ao país, onde se discute com mais seriedade a geração de emprego e consequentemente a geração de renda, onde se abre de forma firme e mais ampla o que se chama de economia solidária, economia sustentável ou que tem sido discutido na sua PND, economia do conhecimento. Não vejo como um simples colunista que sou, o Ciro ter um comportamento de total descontrole, mas como um cara que tem dentro da sua concepção política, um comportamento revolucionário. Mas Brizola quando precisava ser firme com suas posições, não recuava e sempre falava de forma clara sem perder a classe e o preparo. A clareza dele talvez assuste aqueles que não compreendam política fora da esfera da paixão política, algo que ele que desconstruir, pois para ele o meio político é um ato comunitário e um ato de fusão de ideias que são colocadas para servir as comunidades. Política para o Ciro tem que ser vista com seriedade e não invenções de mitos, heróis ou deuses.


Ciro Gomes está vivendo uma das suas melhores fases políticas, ganhando notório prestígio. A repercussão no FLOW é prova disso e sua parceria com João Santana vem a cada dia se mostrando consolidada na qualidade. O PND (Projeto Nacional de Desenvolvimento) nos traz a luz em muitas questões, uma delas sendo direta e explicativa com o tema de industrialização e de como o Brasil perdeu força após o enfraquecimento da industrialização. Ele nos traz com clareza necessária ideias sobre trabalhismo, educação, cultura e sociedade como um todo. Um projeto humano que não tem a ver com a figura “autoritária” e “descontrolada” que alguns setores do meio político e do setor midiático tentam colocar ao futuro presidenciável. Podemos esta diante de alguém que vai além de boas propostas, mas que pode oferecer um comportamento justo, limpo e o mais honesto possível nunca visto antes no cenário político do Brasil.


Se existe um político que atualmente preza pela comunicação e pacificação política na massa, esse alguém se chama Ciro Gomes.

0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo