• Ghiri

Ciro Gomes diz que não fará campanha para Lula mas que votaria contra Bolsonaro

Ex-ministro e ex-governador declarou que acredita em segundo turno entre ele e Lula. Entrevista ao jornal "O Globo" teve grande repercussão nas redes.

Foto: EBC.


Ciro Gomes concedeu entrevista ao jornal "O Globo" nesta semana que foi publicada neste domingo (19/04/2021). Entre as principais falas que tomaram grande repercussão nas redes sociais está a declaração de Ciro de que não faria campanha para Lula caso o seu nome não viesse a chegar a um segundo turno, apesar de dizer que votaria contra Bolsonaro. Ciro disse em referência a sua viagem ao exterior no segundo turno de 2018:

“Eu faria hoje [viajaria] com muito mais convicção. Em 2018, fiz com grande angústia. Aquela eleição já estava perdida. Mesmo somando meus votos com os do Haddad, não alcançaríamos Bolsonaro. Lula mentiu para o povo dizendo que era candidato quando todos sabiam que não seria. Manipulou até 22 dias antes da eleição, deixando parte da população excitada”

Entre as críticas ao PT, Ciro declarou que nunca mais fará aliança com o PT, e se referiu ao principal líder petista como "cínico":


“O lulopetista fanático não me apoiará. Prefere Bolsonaro. No Senado, Renan Calheiros e Eunício Oliveira apoiaram o impeachment. Aí, eu parto para cima dessa gente. E, um ano depois, lá está Lula agarrado a eles. E ainda tem quem ache que devo alguma coisa ao PT. Nunca mais faço aliança com eles”.


“Lula virou uma pessoa que, o que diz de manhã, já não serve de tarde. Está tomado de ódio. Tudo o que domina Lula hoje é a vontade de se vingar. Lula tem cinismo. A gente faz monitoramento de rede. Eles continuam atacando a mim e a outras pessoas na blogosfera. Lula dá a ordem, eles fazem. Se existe gabinete do ódio com Bolsonaro, com o PT é igualzinho”


Ciro, no último sábado participou de evento online da universidade de Harvard e do MIT, no qual conversou e discutiu os rumos do país em painel dividido com Fernando Haddad, Luciano Huck, João Dória e Eduardo Leite.


Nas últimas semanas especulou-se a possibilidade de um acerto em torno da candidatura de Ciro com apoio de partidos da centro direita, casos do DEM e do PSDB que ainda se encontra em meio a discussões internas sobre uma possível candidatura de João Dória a presidência.

0 comentário