• Ghiri

Ciro Gomes: "Não vou deixar o Lula ganhar essa na lambança"

O ex-ministro concedeu entrevista ao Estadão na qual avisa que ex-presidente Lula não foi proclamado inocente, e acredita que Bolsonaro não está garantido no segundo turno. Ciro também comentou sobre o marqueteiro João Santana.


O fortalecimento de um cenário de polarização política com o retorno da elegibilidade do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi um dos temas comentados por Ciro Gomes em entrevista ao Estadão neste sábado (20/03/2021).


Perguntado se é necessário que a esquerda se una ao centro político Ciro respondeu:

"Há duas tarefas: A primeira é derrotar o Bolsonaro e, neste sentido, todos os democratas - pouco me importa se são de direita, de esquerda, de centro, se são de Marte, de Vênus, de Mercúrio -, todos temos a responsabilidade de criarmos um ambiente para isso.
Segundo, é grande a necessidade estratégica deste momento. Eu não vou deixar o Lula ganhar essa na lambança. É construir o futuro e, infelizmente, neste sentido a largueza que eu sonho não é possível pelas nossas diferenças"

Perguntado sobre o estreitamento no jogo eleitoral para 2022, Ciro declarou que não considera a candidatura de Bolsonaro garantida em um segundo turno:

"Todo mundo considera, a preço de hoje, que Bolsonaro será um dos polos do segundo turno. Eu discordo, não acho que é certo que ele esteja,"

Ciro ainda confirmou que tem mantido conversas com o marqueteiro João Santana, que assessorou Lula em 2002 e 2006 e Dilma em 2010.


1 comentário