• Ghiri

Deputado Ricardo Barros: 'Só o professor não quer trabalhar na pandemia'

Atualizado: Mai 16


Foto: Marcos Oliveira/ Agência Senado.


Deputado Federal do Progressistas e ex ministro da Saúde de Michel Temer, Ricardo Barros (PP-PR) concedeu entrevista nesta terça-feira (20/04/2021) ao canal de televisão a cabo, CNN Brasil na qual criticou fortemente a classe dos professores da rede pública de ensino. Barros declarou em entrevista que os professores "não querem trabalhar" e declarou que existe uma proposta em votação no Congresso para transformar a educação em serviço essencial e forçar a reabertura de todas as escolas públicas e privadas mesmo em meio a pandemia de Covid-19.


Segundo Ricardo Barros "é absurdo a forma como estamos permitindo que os professores causem tantos danos às nossas crianças na continuidade da sua formação. O professor não que se modernizar, não quer se atualizar. Já passou no concurso, está esperando se aposentar, não quer aprender mais nada", disse Barros em entrevista à CNN Brasil.


"Infelizmente, o Brasil foi abduzido pelas corporações. Não tem nenhuma razão para o professor não dar aula. O profissional de saúde está indo trabalhar, o profissional do transporte está indo trabalhar, o profissional da segurança está indo trabalhar, o pessoal do comércio está indo trabalhar, só professor que não quer trabalhar", afirmou destacando que o trabalho dos docentes nas escolas pode ter alguma restrição devido à covid-19, mas os educadores "precisam trabalhar", afirmou destacando que o trabalho dos docentes nas escolas pode ter alguma restrição devido à covid-19, mas os educadores "precisam trabalhar".


Atualmente a rede pública de ensino está em funcionamento em alguns estados. Entre os motivos para a dificuldade de se reestabelecer o ensino totalmente remoto durante a pandemia está a falta de acesso aos serviços de internet por parte da população de baixa renda.


Atualmente o Brasil é considerado internacionalmente como o epicentro da pandemia de coronavírus e ocupa o segundo lugar no ranking mundial de óbitos, apenas atrás dos EUA que até junho deste ano prometem realizar a vacinação de toda sua população. No Brasil atualmente estão vacinados em torno de 5% da população, com uma previsão de vacinação massiva até o final do ano de 2021.


De acordo com Ricardo Barros as escolas não retomam as aulas online pois existe medo de perda de cargos nas diretorias das instituições pela falta de habilidade com ferramentas informatizadas.


"As escolas não pedem a conectividade, porque a diretora que está lá não entende de informática. Se ela pedir a conectividade, vai perder a direção para uma professora que tenha mais habilidade nessa área", declarou o líder do governo na Câmara.

0 comentário