• Ghiri

Desemprego mantém índices recordes de 14,7%

Valor representa 14,8 milhões de brasileiros e é o maior patamar da série histórica desde 2012. Taxa de informalidade se mantém em 39,8%.


Nesta manhã de quarta-feira (30/06) o IBGE divulgou novo levantamento a respeito dos números do desemprego no país. Segundo o instituto o número de brasileiros em situação de desemprego chegou a 14,8 milhões e se mantém em patamares recordes desde que se iniciou a medição da série histórica, sendo o maior desemprego desde 2012.


A pesquisa realizada pelo IBGE se refere ao trimestre encerrado em abril de 2021. De acordo com a analista da pesquisa, Adriana Beringuy “o cenário foi de estabilidade da população ocupada (85,9 milhões) e crescimento da população desocupada, com mais pressão sobre o mercado de trabalho”.


Na comparação com o cenário pré-pandemia o mercado de trabalho ainda registra perdas de ocupação, porém em ritmo menor. “Ainda registramos perdas importantes da população ocupada (-3,7%), mas já tivemos percentuais maiores, que chegaram a 12% no auge da pandemia. Estamos observando, portanto, uma redução no ritmo de perdas a cada trimestre. No cômputo geral, contudo, temos menos 3,3 milhões de pessoas trabalhando desde o início da pandemia”


A taxa de informalidade foi de 39,8% no trimestre até abril, o que equivale a 34,2 milhões de pessoas, não havendo variação significativa em relação ao trimestre anterior (39,7%). Há um ano, o contingente era de 34,6 milhões com uma taxa de 38,8%. Os informais são os trabalhadores sem carteira assinada (empregados do setor privado ou trabalhadores domésticos), sem CNPJ (empregadores ou empregados por conta própria) ou trabalhadores sem remuneração.

0 comentário