• Carlos Eugênio dos Santos Lemos

IPOs do setor da saúde afetados pela pandemia

Atualizado: Mai 16

Agravamento da pandemia e o lento plano de vacinação não animam o mercado e a expectativa de melhora da pandemia piora.


A segunda onda da pandemia e o lento processo de vacinação do Brasil está afetando o mercado financeiro em seu setor tido como o “queridinho” pelos investidores, sete companhias do setor da saúde esperam na fila da CVM (Comissão de valores mobiliários) para estrearem na B3 (Bolsa de valores).


IPO (Initial Public Offering) é a primeira oferta pública de ações de uma empresa na Bolsa de valores, sendo o processo no qual a empresa se torna uma companhia de capital aberto.


Segundo apuração do Estadão, a Blau, fabricante de medicamentos reduziu o total de ações a serem ofertadas no IPO, a empresa ainda adiou em uma semana o fechamento da operação. A fila para os IPOs do setor ainda contam com: A Kora Saúde; Care Caledônia; a distribuidora de medicamentos e materiais CM Hospitalar; a farmacêutica Athena e o laboratório Teuto.


O setor na bolsa tem um bom desempenho, o que agrada diversos investidores, foi em uma abertura de capital de uma empresa do setor, a Rede D’Or, em dezembro que movimentou R$ 11 bilhões sendo uma das maiores da história da bolsa brasileira e com demanda muito acima à ofertada.


0 comentário