• Ghiri

Junho de 2021 tem maior número de queimadas desde 2007 no comparativo anual

Mesmo mês de 2020 também havia batido recorde da década. Tendência é de piora com início de período de seca.


O mês de junho de 2021 voltou a apresentar recordes de queimadas na Amazônia, cenário é o pior da década, superando o mesmo mês do ano de 2020 que já havia registrado forte alta no número de queimadas. Segundo o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) houve um crescimento de quase 3% no número de focos de incêndio registrados na comparação com junho de 2020. Em números absolutos foram registrados 2308 focos, na comparação com os 2248 no ano anterior.


Segundo especialistas os próximos meses deverão ser críticos para a floresta devido ao início da estação mais seca no bioma. Há tendência de aumento de queimadas, estando estas diretamente ligadas ao processo de desmatamento.


Os números elevados de queimadas aproximam a situação ao cenário do início dos anos 2000, onde a Floresta Amazônica passava por grandes devastações e números recordes de queimadas. No ano de 2007, para efeito de comparação, foram registrados 3519 focos de incêndio. Já no ano de 2004, o mês de junho registrou 9179 focos de incêndio, valor recorde da série histórica para o mês.

Tags:

0 comentário