• Ghiri

Luiza Trajano: "não vamos comprar vacinas"

Empresária proprietária da Magazine Luiza defende o SUS e busca contribuir com vacinação pública nos municípios.

Foto: Agência Brasil.


A empresária, Luiza Trajano, proprietária da empresa varejista de eletrônicos e móveis, Magazine Luiza, que encabeça o movimento "Unidos pela vacina", movimento criado por lideranças empresariais interessadas na realização de doações de recursos e dinheiro de forma a desobstruir gargalos na logística e na infraestrutura do sistema de saúde brasileiro, deu declaração nesta quinta-feira (08/04/2021) na qual afirmou que "o grupo não vai comprar porque não tem vacina para vender” em referência ao fato de parte do setor empresarial estar cogitando a compra de vacinas diretamente ao setor privado.


A declaração de Trajano vai de encontro ao projeto aprovado na Câmara de Deputados. O projeto vem sendo acusado de institucionalizar o "fura-fila" no processo de vacinação do país, pois permite que empresas imunizem seus funcionários com a finalidade de voltarem a funcionar normalmente.

“Tem uma lei que a vacina só pode ser vendida depois que 60% a 70% estiver imunizado pelo governo federal. Não adianta. Depois que tiver imunizada vai poder vender, como a da gripe”, acrescentou. “Se alguém conseguir comprar, até 60% vai ter que dar para o SUS. Mas eu já digo para vocês a dificuldade não está no dinheiro, está na falta de vacina.”
“A vacina é a única alternativa que tem, com todo o respeito pra quem não quer ser vacinado.”, declarou. “A gente fez muito, ajudou, mas nós não nos omitimos. Nesse momento tão difícil do mundo, nós não podemos ficar de braços cruzados. Vamos falar para nossos netos que não ficamos.”

0 comentário