• Ghiri

Marina Silva: Bolsonaro não tem nenhum compromisso com agenda ambiental

"O governo não vai cumprir absolutamente nada do que diz nesta carta, porque ele não tem nenhum compromisso com a agenda ambiental" diz Marina sobre carta de Bolsonaro a Biden.

Foto: Ramiro Furquim/Sul21.com.br


A ex-ministra do meio ambiente e ex-senadora, Marina Silva, que hoje lidera o partido Rede Sustentabilidade concedeu entrevista ao Centro Acadêmico Vladimir Herzog (CAVH) da Faculdade Cásper Líbero na qual criticou a política ambiental do governo e declarou que apesar da carta enviada por Bolsonaro ao presidente norte americano, Joe Biden, comprometendo-se com a redução do desmatamento, ela não acredita que o governo federal brasileiro irá agir realmente para executar algum plano de mitigação do desmatamento na Amazônia durante a gestão de Bolsonaro.


No texto, divulgado pela Folha de S.Paulo, Bolsonaro afirmava que tem feito esforços para a preservação ambiental e que está disposto a dialogar com lideranças indígenas e ONGs, setores já atacados por ele anteriormente.

"Dar dinheiro para esse governo é dar dinheiro para perseguir os índios e fazer regularização de terra roubada", afirma a ex-senadora.

Marina Silva ainda comentou destacando as consequências da política ambiental do atual governo para a imagem do país internacionalmente, segundo Marina o país é um pária ambiental e acredita que a sociedade brasileira deveria se mobilizar pela saída de Ricardo Salles do cargo de ministro do meio ambiente. A ex-ministra afirmou que ele deveria ser afastado e sustenta que existem "elementos fartos" para comprovar a necessidade disto ocorrer.

"Deveria, sim, cair. Assim como caiu o ex-ministro da educação [Abraham Weintraub], como caiu [Eduardo] Pazuello [da Saúde] e o Ernesto Araújo [das Relações Exteriores]. É só uma questão de tempo para a sociedade brasileira se mobilizar."

Sobre o cenário eleitoral para as próximas eleições nacionais Marina comentou sobre como vê a atual conjuntura política brasileira, atualmente Marina tem ensaiado uma aproximação ao nome do ex-ministro e hoje vice presidente nacional do PDT, Ciro Gomes:

"Hoje vemos a polarização em torno do nome de pessoas. Lula e Bolsonaro. Isso não leva o Brasil para lugar nenhum. Minha prioridade é o projeto de Brasil. Hoje estamos sem horizonte de país. Todo mundo ficou esse tempo todo discutindo projeto de poder, não de país. Discutindo como faz para ganhar eleição, e não um ideal de nação."

Marina ainda aponta a falta de autocrítica por parte dos dois principais partidos que governaram o país nos últimos 25 anos, PSDB e PT, segundo Marina "foram graves desvios de corrupção e isso precisa ser reconhecido. Não é por acaso que o marqueteiro da presidente Dilma está com tornozeleira eletrônica."

0 comentário