• Tainara Cavalcante

Políticos se posicionam sobre as manifestações de 29 de Maio

Deputados têm usado as redes sociais para falar sobre as manifestações contra o presidente amanhã, pedindo tanto cautela quanto o não comparecimento #29M.


Talvez você tenha visto nas redes sociais um protesto que vai rolar amanhã contra o Bolsonaro, certo? O #29M vai acontecer amanhã (29/05) em dezenas de cidades. É organizado por vários movimentos sociais e ganhou apoio até de artistas e políticos.


O ato reivindica diversas demandas, mas a principal delas é o pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Os protestos acontecerão em pelo menos 24 estados e no Distrito Federal e ocorrem em um momento em que o governo perde força por causa da CPI da COVID.


Embora tenha sido bastante criticado por causa da aglomeração, o ato continua de pé e pede que todos usem máscaras e tomem as devidas precauções por causa do coronavírus. Circula nas redes sociais até mesmo um “guia de cuidados”. As entidades pedem que os grupos de risco fiquem em casa.


Além do impeachment, cada entidade também tem a sua causa. Os movimentos estudantis, por exemplo, manifestam pelo corte de verbas nas universidades. Servidores públicos são contra a reforma administrativa.


Boa parte dos manifestantes também clamam pela volta do auxílio emergencial e vacinas. Segundo a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), uma em cada cinco cidades sofre com a falta de vacinas. Sem contar que o Auxílio aprovado para 2021 exclui 20 milhões de famílias em situação de vulnerabilidade.

Posicionamento


Vários políticos já se posicionaram a favor dos protestos e pedem para os brasileiros irem às ruas com cautela.


Como por exemplo, Luíza Erundina (PSOL-SP), que postou uma foto com todos os cuidados que os manifestantes precisam tomar amanhã. Embora não diga abertamente que defende as manifestações, a imagem foi um jeito de apoiar a causa.


Contudo, quem marcou presença foi a deputada federal Sâmia Bomfim do mesmo partido, que além de criticar Bolsonaro sem máscaras na passeata do dia 23. Na mesma postagem publicada no Twitter ela escreveu: “Dia 29, com todos os cuidados, estaremos nas ruas para derrotar Bolsonaro”.


A médica e deputada federal do PCdoB-RJ, Jandira Feghali também usou as redes sociais para falar das manifestações. Ela avisou aos manifestantes que no Rio de Janeiro haverá a distribuição de máscaras e álcool em gel.


O deputado federal Orlando da Silva compartilhou os dados da popularidade de Bolsonaro, que segue em queda e ainda complementou que os atos que acontecerão amanhã serão ainda mais decisivos.


Já Ciro Gomes (PDT) publicou um vídeo falando especificamente sobre o risco dos protestos. “Vocês que resolverem ir para a luta, protestar, tem o meu respeito (...) mas nós estamos começando uma terceira onda dessa terrível epidemia e enquanto a maioria da população não for vacinada, aglomerar não é necessariamente uma coisa boa a se fazer”, diz.


Contudo, outros nomes populares da política não se manifestaram a respeito das manifestações, como Lula, João Dória e Haddad.

0 comentário