• Tainara Cavalcante

Por que sobram vacinas?

Só na cidade de São Paulo mais de duas mil doses da xepa são aplicadas na população acima dos 18 anos.


A vacinação contra a COVID-19 caminha em um ritmo mais lento do que gostaríamos. Mesmo em estados com o calendário adiantado, como São Paulo, as doses são aplicadas nos grupos prioritários e mais velhos primeiro e a expectativa é de uma imunização completa só em setembro.


Mas isso não quer dizer que pessoas na casa dos vinte e poucos não estejam sendo vacinadas contra a COVID-19 agora.


Não se preocupe, elas não estão cortando fila, mas aproveitando as sobras dos lotes no final do dia, as chamadas xepas. Elas já são administradas em jovens acima dos 18 anos com ou sem comorbidades.


Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, cerca de duas mil doses da xepa são aplicadas diariamente na capital.


Mas porque sobra vacinas?


Não daria para aplicá-las nos dias seguintes?


Segundo a infectologista e professora de medicina da UNILA - Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Flávia Trench, a vacina é um imunobiológico que requer temperaturas determinadas para a conservação.


Cada frasco vem com 10 doses. Quando abertas, todas elas precisam ser aplicadas durante um curto período ou vão para o lixo. Mas para evitar o desperdício, o Ministério da Saúde recomenda que os postos de saúde distribuam as que sobraram aos moradores da região.


"A vacina que passou do tempo em que pode ficar aberta tem que ser descartada porque não se pode garantir que será mantida a eficácia,” diz a Trench.


Cada vacina tem um prazo quando é aberta. A Pfizer, por exemplo, pode ser conservada por até seis horas, a CoronaVac por até oito e a da Oxford/AstraZeneca podem ficar abertas por 48 horas.


A professora universitária ainda complementa que isso acontece porque embora todas tenham o mesmo propósito, cada vacina é feita de formas diferentes. Elas são diversas não só na temperatura de armazenamento, mas na maneira de administrar, nos efeitos adversos, na resposta imunológica.


Como entrar na lista da xepa


Estamos na etapa onde a vacinação ainda está na faixa das pessoas com trinta anos ou mais que possuem comorbidades. Contudo, de olho no prazo de validade e na ausência destes candidatos, os municípios recebem autonomia para distribuir as sobras das vacinas para os munícipes.


Em São Paulo, basta ir até a sua unidade de saúde com o documento, telefone e comprovante de residência para ficar na lista. Se sobrar vacinas, você receberá um telefonema para ir até o posto.


É importante entender que a pessoa precisa estar disponível no momento da ligação para ir no mesmo dia.



0 comentário