• Welyson Lima

Presidente e sete diretores para mandatos fixos são nomeados por Bolsonaro no Banco Central

Lei aprovada em fevereiro estabelece mandato de quatro anos para presidente do BC afim de evitar interferência política no órgão.

Foto: Marcos Corrêa/PR.


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nomeou nesta terça-feira (20/04) o presidente Roberto Campos Neto, mais sete diretores para mandatos fixos no Banco Central (BC).A legislação sancionada em fevereiro, estabelece a autonomia do Banco Central. Ainda estabelece outras inúmeras regras, entre as quais, mandato de quatro anos para presidente do BC, não coincidente com o do Presidente da República. Diretores também terão cargos. E todos podem ser reconduzidos ao cargo, uma única vez, por igual período.


O governo federal tinha 90 dias após aprovação da lei, para nomear os diretores do Banco Central. Campos Neto já ocupava o cargo de presidente do órgão, antes mesmo da oficialização do mandato. Um dos objetivos da nova lei é blindar o Banco do Brasil de interferências político-partidárias.


Os diretores nomeados foram: Roberto Campos Neto (presidente), Fábio Kanczuk, João Manoel Pinho de Mello, Bruno Serra Fernandes, Paulo Sérgio Neves de Souza, Carolina de Assis Barros, Otávio Ribeiro Damaso, Maurício Costa de Moura.


Os diretores Fábio Kanczuk e João Manoel Pinho de Mello terão seus mandatos até 31 de dezembro de 2021. Já os diretores Bruno Serra Fernandes, Paulo Sérgio Neves de Souza, Maurício Costa de Moura terão seus mandatos até dezembro de 2023, enquanto o presidente Roberto Campos Neto, o diretor Otávio Ribeiro Damaso e a diretora Carolina de Assis Barros concluirão seus respectivos mandatos até dezembro de 2024.


Entre as atribuições do Banco Central, cabe ao órgão, por meio de Comitê de Política Monetária (Copom), definir taxa selic, taxa básica de juros da economia, além de outras tantas funções.

0 comentário