• Welyson Lima

Reacionários bolsonaristas atacam policiais militares de São Paulo

Os ataques ocorreram por meio de redes sociais à Polícia Militar de São Paulo, após anuncio sobre vacinação.


A Polícia Militar do estado de São Paulo foi alvo de ataques por parte de bolsonaristas. Os ataques começaram a acontecer momentos depois da Polícia Militar anunciar que a partir do dia 12 de abril iria se dá início à vacinação para imunizar à população contra a Covid-19. Os ataques com muitas informações falsas são constantes pela extrema direita. Essa situação é percebida como grave, pois gera instabilidade política e principalmente de segurança.


Segundo coronel Robson Cabanas Duque, diretor da Comunicação da Polícia Militar, os bolsonaristas divulgam vídeos antigos sobre abusos policiais, como forma de tentar passar aos demais internautas que são fatos da atualidade. "Fazem parecer que são atuais e contra a população", disse.


Essa forma de ataque pela extrema direita, onde apoiadores fanáticos do presidente Bolsonaro são na maioria das vezes extremamente agressivos, havendo em alguns casos até ameaça de morte por parte deles, não ocorre apenas em São Paulo. Em outros estados brasileiros, prefeitos e governadores, além de outras autoridades, são por vezes vítimas desse "gabinete do ódio" germinado nas redes sociais.


Governadores de estados como Maranhão e Piauí, além da Bahia e Rio Grande do Sul são alvos vez por outra dos bolsonaristas de extrema direita. O Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) disse em outro momento que esses ataques "tem digitais bolsonaristas em questões locais" e que "eles se aproveitam para uso politiqueiro".


A PM de São Paulo está na tentativa de identificar o principal centro de difusão dos ataques à corporação. Postagens do ex-deputado Roberto Jeferson, aliado do presidente Bolsonaro, do blogueiro Allan dos Santos, ligado ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) estão sob monitoramento pela polícia.

0 comentário