• Carlos Eugênio dos Santos Lemos

Segundo a OCDE o Brasil é a única grande economia em desaceleração

Enquanto economias emergentes como Índia, Rússia e o setor transformador da China continuam a expandir-se a um ritmo constante, o Brasil tem um abrandamento em sua perspectiva de crescimento


Segundo a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) os indicadores compostos avançados para o mês de março indicam que o Brasil é a única grande economia global que aparece com desaceleração, enquanto isso, outras nações estão aparecem em “crescimento constante” ou “aumento da expansão”.


O sistema de indicadores compostos avançados é projetado para propor uma sinalização com antecedência dos pontos de virada do ciclo econômico, como oscilações de produção ou atividade econômica em relação ao seu potencial.


Quatro fases cíclicas são definidas. Na “expansão”, o indicador aumenta e fica acima de 100; na “inflexão”, o indicador diminui, mas continua acima de 100; na “desaceleração”, há uma baixa para menos de 100; e na “retomada”, o indicador aumenta, mas ainda fica abaixo de 100. Isso significa que a economia brasileira continua na rota de crescimento, mas que a tendência é de ritmo menor.


Segundo a OCDE, os indicadores divulgados pela organização devem ser lidos com cuidado, dado que as medidas de fechamento provocados pela covid-19 e junto com as campanhas de vacinação pelo mundo geram flutuação.

0 comentário