• Tainara Cavalcante

Wajngarten diz que insistiu na compra de três vacinas

Embora o seu depoimento seja na semana que vem, o ex-secretário já adiantou que ele insistiu na aquisição de imunizantes.

Foto: Anderson Riedel/PR.


O ex-secretário de Comunicação da gestão Bolsonaro, Fabio Wajngarten, só irá depor na CPI da COVID-19 na próxima quarta-feira (12), contudo, já adiantou o que vai falar.


Entre as declarações está a de que ele insistiu ao governo que fizesse a aquisição da vacina russa Sputnik V, a indiana Covaxin e até a americana Pfizer ainda em 2020.


Relato que foi confirmado por algumas autoridades de Brasília. Elas complementam que o ex-secretário procurou ajuda de diversas pessoas, na tentativa de convencer o governo.


A Comissão parlamentar de inquérito, conhecida como CPI da COVID, investiga a atuação do governo na administração da pandemia de Coronavírus. Os deputados da comissão começaram a ouvir testemunhas esta semana. Até agora, foram ministros e ex-ministros da Saúde da gestão Bolsonaro.


Em entrevista à Veja, Wajngarten ainda acrescentou que houve "incompetência e ineficiência'' do Ministério da Saúde na aquisição de vacinas. Aqui ele se referiu ao órgão quando estava na administração de Eduardo Pazuello.


Contudo, o ex-secretário isenta a responsabilidade do presidente Bolsonaro. Segundo ele à Veja, o Bolsonaro é mal assessorado e coloca a culpa pelo fracasso no Ministério da Saúde.

0 comentário